Santa Cruz, campeão do Nordeste! Torcedor no Acre se vira sem internet

Santa_Cruz2Por Edmundo Monte

Da capital acreana ao Estádio do Arruda, no Recife, a viagem é longa.

Pelas nuvens, contando o tempo de conexão em Brasília, o sujeito demora umas 12 horas para chegar ao Aeroporto dos Guararapes.

Por terra, percorre-se aproximadamente 5.500 km.

Adianto-lhe logo que as informações não são do Google, muito menos de algum caminhoneiro.

Em dezembro de 2008, percorri esse trajeto sozinho, num carrinho 1.0 e com 84.000 km rodados.

Quatro anos depois, eu e minha esposa fizemos o percurso inverso. Saímos de Paulista/PE, com destino à Rio Branco/AC. Foram seis dias de viagem, contemplando belíssimas paisagens naturais e diversas cidades do Nordeste, do Centro-Oeste, e em dois estados do Norte (RO e AC).

A crítica fica na conta dos senhores gestores, pelos trechos esburacados, sobretudo no Estado de Goiás.

Nessas aventuras, sempre mencionei o nome e as histórias do glorioso Santa Cruz Futebol Clube.

Não importava a cidade, o local e as pessoas. Se dessem brecha, eu logo perguntava:

– Visse a lapada que demos no Sport ontem?

– Sabia que o Santa Cruz já jogou contra, e ganhou da seleção brasileira?

Às vezes, eu também reclamava:

– Rapaz, meu Santinha não pode levar pressão do Luverdense.

E noutras, eu tentava tirar uma onda, quando a paixão da torcida carregava o time na tora:

– Nossa torcida hoje decepcionou: “apenas” 45 mil pessoas compareceram ao Arruda.

E o tempo foi passando, a paixão aumentando, e as esperanças seguindo o mesmo caminho.

Numa inesperada, porém incrível reação, em 2015 garantimos nosso retorno à série A do Campeonato Brasileiro. Isso, sem contar o título de Campeão pernambucano e as vagas garantidas para as Copas do Nordeste e do Brasil, em 2016.

O ano novo começou cambaleante para o Santinha, apesar de ter mantido quase 100% do vitorioso plantel de 2015 –  inclusive o treinador – Marcelo Martelotte. Após atuações e resultados pífios, somando-se o clamor dos torcedores, o técnico foi demitido.

Para o seu lugar, contrataram Milton Mendes. No currículo do treinador, destacam-se os bons trabalhos realizados no Atlético-PR e na Ferroviária de São Paulo.

Parece-me que o sujeito é um cabra desenrolado: possui todos os diplomas de treinador emitidos pela UEFA, e é adepto de fazer apostas com seus comandados.

Foto: NE10.com.br
Milton Mendes: terno europeu e resenha brasileira. (Foto: NE10.com.br)

Coisa típica dos antigos boleiros: “Se ganharem hoje, o churrasco tá garantido.”

Rapaz, nessa mistura de trabalho pesado e de resenha com os jogadores, o negócio vem dando certo. Ponto positivo para a imensa torcida tricolor santacruzense e a competente Diretoria do clube.

Chegamos às finais, nas duas primeiras competições do ano: a Copa do Nordeste e o Campeonato Pernambucano.

No primeiro jogo da “Lampions League” contra o Campinense-PB, vencemos por 2 x 1, jogando em casa e com grande público no Arrudão.

Sim, antes de prosseguir, acho prudente relembrá-los que eu resido em Rio Branco/AC.

Rio Branco 0 x 2 Santa Cruz. Série C 2013, jogo em Rio Branco/AC (Foto: G1Acre)
Torcida do Santa no Acre: Rio Branco 0 x 2 Santa Cruz. Campeonato Brasileiro da série C 2013 (Foto: G1 Acre)

Em plena Amazônia Ocidental, eu torço fervorosamente, divulgo o time e me viro para acompanhar, cotidianamente, as diversas informações sobre o Santa Cruz.

Por essas bandas, coisa rara é o cidadão conseguir contratar um plano ou ponto de acesso à internet para sua casa.

Propagandas e promessas, tanto das empresas de telefonia, como dos representantes do Estado no congresso e no Senado, sobre a – baixíssima e limitada – qualidade da internet ofertada localmente, ecoam nesses seis anos de trabalho e vivências no Acre.

Aqui em casa, após inúmeras tentativas frustradas com as operadoras, optei por comprar e instalar uma antena de acesso via rádio. Geralmente, este tipo de recurso é utilizado com sucesso em pequenas cidades do interior do Brasil.

Vivemos numa capital e, mesmo com o suporte desta antena, o acesso à web é intermitente. E bote intermitente nisso! Já são dois meses sem Net em casa. 

A solução “quebra-galho” para questões de trabalho, lazer e afins, foi apelar para o celular.

Para escrever um simples e-mail, além da perda de tempo, a paciência deve ser sempre sua amiga. É lasca!

Mas, seguindo o conhecido e questionado ditado – de que um gato caça melhor que um cão –, é pelo celular que tenho escutado os jogos do Mais Querido.

Ontem, na decisão da Copa do Nordeste, não foi diferente.

Celular no volume máximo, para o duelo Campinense x Santa Cruz.

– E começa o jogo…

– Lá vem o campinense pela esquerda, desarma a zaga do Santa.

– Santa Cruz no ataque, agora vai… Grafite perde um gol feito!!!

O cara acompanhando pela TV já fica nervoso. Imagina por um aplicativo de celular de uma rádio pernambucana?

A agonia foi tanta, que eu não consegui abrir uma única latinha de cerveja durante o primeiro tempo da partida.

Intervalo de jogo. Aproveito para desligar o aplicativo da rádio e poupar os dados móveis do celular.

O placar permanecia 0 x 0, resultado favorável à conquista da Copa do Nordeste pelo Santa Cruz.

Recomeça a partida!

– Pronto, são apenas 45 minutos (mais os acréscimos) para o desespero dar lugar à alegria.

Tudo é mais sofrido para a torcida do Santa. Isso é uma verdade!

E para os torcedores distantes, as mazelas são duplicadas.

Aos 10 minutos do segundo tempo, a rede de dados da operadora do meu celular travou.

– PQP! E agora, o que fazer?

Reiniciei o aparelho, abri vários protocolos de atendimento na empresa, e nada do sinal retornar.

De repente, veio à luz: ou melhor, o ícone informando que chegara uma nova mensagem no zap-zap.

Era meu primo, Júnior Head, escrevendo agoniado lá de Maceió/AL:

– Bicho, tô nervoso pra Baralho!

Eu nem acreditei. Na mesma hora expliquei minha bronca e lhe pedi que, a cada dez segundos, ele descrevesse o andar da carruagem.

Pedido atendido nas bandas das Alagoas!

O diálogo, com cara de locução de torcedor Coral apaixonado, foi mais ou menos assim:

– Acre: Como tá o Santinha?

– Alagoas: Jogo equilibrado. Acho que nunca fiquei tão nervoso num jogo.

– AC: Tá quanto? Empate ainda?

– AL: Acabou de sair um gol do Campinense.

– AC: Poha! Que merda. Falta quanto para acabar?

– AL: Vinte minutos e os descontos.

– AC: Tem que botar o General (Bruno Moraes) nesse baralho! Foi inventar de botar Wellington César pra segurar o resultado… Oxe, sei não viu?!

– AL: É lasca mesmo!

– AC: Aqui, nada da conexão voltar. O Santa perdeu gol feito, bicho. Isso não pode, velho!

– AL: Não podemos perder um título assim…

– AC: O técnico já fez a última substituição? Responde aí, pô!

– AL: GOOOLLLLLLLL. GOOOOLLLLL

– AC: GOOLLLL

– AL: É gol, poha!!!

– AC: Aê, poha! É gol… [mais de 50 palavrões em 10 segundos] O gol foi de quem?

– AL: Arthur.

– AC: Valeu, Arthur! Tu é fod… mesmo!

– AL: Agora é acertar um contra-ataque e matar o jogo.

– AC: Agora tem que ser pé no bucho, mão na cara e, se brincar, chute até nas partes baixas.

– AL: Isso aí!

– AC: Mete essa bola pra fora do estádio!!!

– AL: Tua conexão voltou?

– AC: Nada, meu velho. Vai falando mais aí… Essa net do Acre é uma piada!

– AL: Tá lasca o jogo. Sufoco, mas o time tá bem.

– AC: Nem cerveja eu consegui tomar ainda. Ansiedade da poha.

– AL: O time tá acuado. 38 minutos do segundo tempo.

– AC: Quero que acabe logo pra poder tomar uma e mandar zap pra rapaziada. Inclusive, para os amigos torcedores do Bahia!!!

– AL: Tiro de meta.

– AC: Blz. É se segurar.

– AL: Também tô esperando o apito final pra zoar o povo.

– AC: O juiz não é doido para dar mais que 3 minutos de acréscimos.

– AL: Falta, para o Santa!

– AC: A taça tá na mão, só não pode deixar cair no chão.

– AL: Escanteio pra gente.

– AC: Opa!!!

– AL: 40 minutos. Contra-ataque deles, mas tudo resolvido. Tiro de meta.

– AC: Blz! É pra endoidar um meu irmão.

– AL: E então, meu velho!

– AC: A bosta da Rede Bobo só mostra na TV os gols dos estaduais. Né lasca?

– AL: Escanteio pro Campinense.

– AC: Vixi, Maria!

– AL: Afastaram a bola. Novo escanteio.

– AC: Quebra esses cornos, pô!

– AL: Tiro de meta pra nós. Falta pouco: 43 e meio.

– AC: Tiago Cardoso (goleiro) tem que fazer cera. Nem que leve um amarelo.

– AL: Vamos, Santinha! Cartão amarelo para Tiago Cardoso.

– AC: kkkkk Não te falei?! É isso mesmo. Acaba logo seu juiz!

– AL: Falta pro Santa.

– AC: Agora vai. Vamos virar esse jogo!

– AL: 45 minutos. Ele deu três de acréscimos.

– AC: Bora, Santinha!!!

– AL: Contagem regressiva: 46 minutos…

– AC: Esse título é nosso, Cabeça! Agora é descer a lenha no Campinense.

– AL: A bola tá com a gente. Mete pro mato, Santa!

– AC: Vai acabar…

– AL: Vixi, contra-ataque deles. 47 minutos. Falta só um minuto poha!

– AC: Acaba logo, juiz!

– AL: Quarenta e sete minutos e quinze segundos! kkkk

– AC: kkkkkk

– AL: Acabou, poha!!! É CAMPEÃO!

– AC: CAMPEÃO!!!

– AL: Santinha, Campeão da Copa do Nordeste!

– AC: É CAMPEÃO!!! Obrigado, Santa Cruz! Valeu mesmo a força, Cabeça!

– AL: Milton Mendes (técnico) tá ao vivo, falando da importância de Tiago Cardoso, Grafite e tal.

– AC: Massa!

– AL: Nosso paredão levantou a taça!

– AC: Merecido. Valeu, Paredão! Valeu, Santinha!

– AL: Tô bebo pra baralho já! kkk

– AC: Tu merece, irmão. Agora quem vai tomar todas sou eu. Abração.

Ouça o GOL decisivo de Arthur, na voz de Aroldo Costa (Rádio Jornal AM)

 

HOMENAGEM AO MAIS QUERIDO CLUBE DAS MULTIDÕES

Os Campeões do Nordeste em 2016! Foto: Gazeta Esportiva.
  SANTA CRUZ: Elenco campeão da Copa do Nordeste 2016. (Foto: www.santacruzpe.com.br)

Agradeço a Rosana Bezerra (rubro-negra e gente finíssima), pela sugestão do texto.

 

Este artigo contêm 6 Comentários

  1. Edoi, emocionado aqui irmão! O sentimento descrito nos ultimos minutos (acredito eu) que foi o mesmo de todos. Maravilha cara!

    Chinna, lead guitar from Vertical Smile (kkkkkkkkkkkkk)

  2. Kkkkk que sufoco né irmão.
    To no interior da Bahia e passei um sufoco tb.
    Mas deu tudo certo. Saudações Santacruzenses

Agradecemos sua visita. Fique à vontade para comentar: